6º Encontro de Cipa e Sesmt do Setor Químico de Araçatuba e Região discute saúde e segurança

0
223

O SINDALCO de Araçatuba foi quem promoveu o evento que contou com a participação de aproximadamente 70 pessoas

Foi realizado hoje (26 de Fevereiro), no auditório do SINDALCO o 6º Encontro de Cipeiros e Profissionais do S

esmt do Setor Químico de Araçatuba e Região. O evento é promovido pelo SINDALCO (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas, Farmacêuticas e na Fabricação de Álcool, Etanol, Bioetanol e Biocombustível de Araçatuba e Região) com apoio e colaboração da Fequimfar (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de São Paulo).

Membros das CIPAs (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) e profissionais do SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho) que atuam na área d

e saúde do trabalhador, participaram de palestras e debates que discutiram, entre outros temas, o papel da CIPA sob vários aspectos.

Segundo o presidente do SINDALCO, José Roberto da Cunha, “o evento teve como objetivo promover a troca de experiências entre os participantes, permitir ações que reduzam ou eliminem os agravos à saúde decorrentes do trabalho, obter a atuação responsável do membro da CIPA e interagir com o público alvo”.

A abertura do 6º Encontro contou com a presença do Prefeito Municipal de Araçatuba, Dilador Borges Damasceno; Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Mazzei; Secretário Municipal da Fazendo, Josué Cardoso de Lima; Auditor da Secretaria Especial da Previdência Social e Trabalho, Dr. Roberto Francisco Lemos de Castro; Coordenador de Relações Institucionais da Udop (União dos Produtores de Bioenergia), Felipe Miranda; Secretário Geral da Fequimfar, Edson Dias Bicalho; e o Diretor do Departamento de Saúde do Trabalhador da Fequimfar, João Donizeti Scaboli.

Durante a abertura do evento foi respeitado um miniuto de silêncio em respeito às vítimas do acidente com a barragem da Vale em Brumadinho/MG, tema esse muito citado também durante o uso da palavra de muitos que compuseram a mesa de abertura do evento, uma vez que esse trágico acidente demonstra muito bem a importância do papel do Sesmt e da Cipa dentro das empresas.

A primeira palestra do dia foi feita pela Psicóloga Bárbara Cristina Romeiro de Moraes, que falou sobre Depressão: o mal que afeta os trabalhadores. Ela falou sobre a importância de se observar os sintomas de uma pessoa depressiva, já que muitas vezes a pessoa não procura tratamento sozinha e também falou sobre dados de números crescentes de pessoas depressivas e casos de suicídios. Segundo ela, muitas vezes a depressão é adquirida dentro do ambiente de trabalho.

Em seguida a Dra. Flávia Gomes de Oliveira – Nutricionista formada pela Unip de Araçatuba, com especialização em Nutrição Clínica pela USC – Universidade Sagrado Coração de Bauru, abordou o tema: Alimentação Saudável: como se alimentar no ambiente de trabalho. “Sabemos da dificuldade que o trabalhador tem de levar sua própria comida dentro do seu local de serviço, mas é possível ter uma alimentação adequada dentro das empresas e principalmente fora delas. O ideal e recomendável não é restringir nada, mas sim adequar o consumo de certos alimentos que podem ser prejudiciais à saúde em quantidades menores, aliando sempre a prática de exercícios físicos”, disse ela.

A terceira palestra do dia foi feita pelo Engenheiro José Possebon – Pesquisador da FUNDACENTRO – Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho que palestrou sobre o tema: Espaço Confinado, Como Detectar os Gases. Durante a sua explanação ele citou os maiores riscos em espaços confinados, tais como: gases e vapores tóxicos e inflamáveis, deficiência de oxigênio, queimadura química, queimadura por vapor, riscos de acidentes, choques elétricos, etc. Alguns exemplos citados por ele de espaços confinados são ambientes canalizados fechados, porões de navios, túneis, poços, cisternas e caldeiras.

Encerrando o dia Jorge Marques Pontes da FUNDACENTRO – Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho; Filósofo; Mestre em Políticas Públicas pela Universidade de Mogi das Cruzes e Especialista em Gestão Pública debateu sobre o tema: Nanotecnologia na saúde do trabalhador e meio ambiente. Jorge explicou primeiramente aos participantes o que é a nanotecnologia: “São materiais ou objetos com aproximadamente 1 a 100 nanômetros, sendo que 1 nanômetro equivale a 1 bilionésimo de metro, ou seja, completamente invisível a olho nu”.

Para Célio Kiill, vice-presidente do SINDALCO e idealizador do evento, “a ideia de realizar o encontro de cipeiros e profissionais do Sesmt surgiu a partir do momento em que os próprios trabalhadores demonstraram interesse em saber mais sobre assunto de prevenção e doenças do trabalho”.

Ao final do evento foram sorteados vários brindes entre os participantes, que elogiaram a iniciativa do SINDALCO em promover um encontro de tamanha importância para o trabalhador.

Fonte e fotos: Priscila Rigon / Imprensa do STI Araçatuba.

Deixe uma resposta