Dia Mundial da Luta contra a AIDS

0
85

Por João Scaboli

Hoje, dia 1º de dezembro é o Dia Mundial da Luta contra a AIDS. Nesta data, vamos conversar um pouco sobre a atuação do Departamento da Saúde do Trabalhador da FEQUIMFAR sobre as ações adotadas para alertar a população sobre as formas de contaminação e como se pode prevenir do vírus HIV.

A AIDS é considerada um dos maiores problemas da atualidade pelo seu caráter pandêmico (ataca ao mesmo tempo muitas pessoas numa mesma região) e sua gravidade. É uma doença conhecida pelo nome de Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, causada pelo vírus HIV, que infecta as células do sistema imunológico.

O Dia Mundial de Luta contra a AIDS foi criado em 1987 pela Assembleia Mundial de Saúde com apoio da ONU para reforçar a tolerância e dizer NÃO ao preconceito com os indivíduos portadores de HIV/AIDS. No Brasil, foi instituído no ano seguinte, em 1988.

Considerando que, segundo a Organização Mundial da Saúde, a doença atinge todo o mundo, mas os países subdesenvolvidos são os mais prejudicados já que 90% dos infectados vivem na África, América Latina e Ásia, pensamos em atuar, de alguma forma para que pudéssemos contribuir para reduzir o número de pessoas infectadas e diminuir o preconceito contra os já infectados.

Conforme informações do Ministério da Saúde, saber do contágio pelo HIV precocemente aumenta a expectativa de vida do HIV positivo. Quem busca tratamento especializado no tempo certo e segue as recomendações do médico ganha em qualidade de vida.

Nesse sentido, em 1994, a FEQUIMFAR, junto ao seu Departamento de Saúde do Trabalhador, criou o Projeto Verão sem AIDS – Valorizando a Vida. Desde então, nossa Federação está engajada nessa luta conta pela informação e prevenção. Em 2009, o Projeto passou a ser coordenado pela Força Sindical São Paulo, sempre com o apoio e dedicação da FEQUIMFAR, seus Sindicatos filiados, além de muitas outras entidades filiadas à Força Sindical e, também da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramo Químico, a CNTQ. Hoje, 2017, a mobilização pelo Projeto se estende a outras Centrais Sindicais, e também tem o reconhecimento do Conselho Nacional de Saúde e Ministério da Saúde.

Sempre lembramos que o Projeto  tem o objetivo de informar as pessoas para que, uma vez esclarecidas, adotem maneiras de prevenirem-se, diminuindo, consequentemente, o  número de casos de contaminação pela AIDS. Sabe-se que, por exemplo, que as mães HIV positivo têm 99% de chance de terem filhos sem o HIV se seguirem o tratamento recomendado durante o pré-natal, parto e pós-parto.

O projeto VERÃO SEM AIDS tem o reconhecimento da OIT (Organização Internacional do Trabalho) e, nesses 22 anos de existência, muitas entidades sindicais levaram para suas regiões eventos semelhantes, beneficiando milhares de pessoas.

Neste aspecto, é importante lembrar-se da Recomendação 200 da OIT que foi adotada pela Brasil. A Recomendação 200 sobre o HIV/AIDS e o mundo do trabalho é um importante instrumento de orientação e trás os cuidados que devemos ter para garantir os direitos das pessoas que vivem com HIV/AIDS. A empresa, por exemplo, não pode exigir que os empregados, no ato da admissão ou mesmo depois, façam o teste de HIV. A condição sorológica confirmada ou presumida não pode ser motivo para discriminação impedindo o trabalho. O direito ao tratamento e acompanhamento médico também deve ser preservado e garantido pelo empregador.

Reafirmamos que essa é uma questão que diz respeito ao mundo do trabalho. As pessoas que vivem com HIV/AIDS estão em idade produtiva. Com os medicamentos aumentou a sobrevida e essas pessoas têm direito ao trabalho. É preciso pregar a prevenção e também a solidariedade no local de trabalho.
É uma campanha de educação, prevenção, contra o estigma e discriminação em relação ao HIV/AIDS no mundo do trabalho. Além disso, incentiva a procura de exames para detecção de HIV positivo e o diálogo saudável a respeito de sexualidade como forma de prevenção ao HIV/AIDS.

Sentimo-nos gratificados pelos resultados positivos que o Projeto Verão sem AIDS – Valorizando a Vida tem alcançado e temos certeza de que, com nossa participação, estamos contribuindo para que, cada vez mais, pessoas conscientizadas possam ter uma qualidade de vida melhor. Se soubermos fazer a nossa parte, podemos estimular os outros para que façam a sua. Num esforço coletivo ampliado, podemos vislumbrar a redução de casos de pessoas infectadas pelo vírus da AIDS. É o que desejamos e vamos continuar nessa luta!

Saudações Sindicais, Saúde, Informação e Prevenção para todos!

João Donizeti Scaboli,
Coordenador do departamento de saúde do trabalhador da FEQUIMFAR,
Adjunto da Secretaria de Saúde e Segurança do Trabalho da Força Sindical e
Membro do Conselho Nacional de Saúde pela Força Sindical

Deixe uma resposta