FEQUIMFAR/Força Sindical e FETQUIM/CUT conquistam proposta que mantém direitos e avançam em cláusulas econômicas

0
301

Campanha Salarial e Social dos Trabalhadores no Setor Industrial Farmacêutico de SP

“Com a unidade de ação entre os Químicos da Força Sindical e CUT, nesta rodada de negociação com setor patronal da indústria farmacêutica, conquistamos uma proposta de reajuste de 2,5% (com aumento real estimado em 0,72%), incidentes também sobre os atuais pisos salariais e PLR. Também avançamos no reajuste do Cartão Alimentação. Além disso, foram mantidas todas as cláusulas econômicas e sociais vigentes, tais como jornada de 40 horas semanais, licença-maternidade de 180 dias, medicamentos gratuitos e/ou subsidiados, entre outros.”

Sergio Luiz Leite, Serginho
Presidente da FEQUIMFAR (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de São Paulo) e 1º secretário da Força Sindical

“A previsão de inflação do Banco Central pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que será divulgada oficialmente em 10 de abril é de 1,77%, então podemos destacar que a proposta está acima da inflação. Agora é hora de reunirmos nossos sindicatos filiados, realizar assembleias e ouvir a resposta das bases. Lembrando que somos a primeira grande categoria que negocia com a patronal neste começo de ano.”

Airton Cano, coordenador político da FETQUIM/CUT (Federação dos Trabalhadores do Ramo Químico do Estado de São Paulo)

Com o objetivo de fortalecer a luta da categoria, hoje, em ação conjunta, dirigentes da FEQUIMFAR (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de São Paulo), entidade filiada a Força Sindical, CNTQ e IndustriALL, da FETQUIM, entidade filiada à CUT, e Sindicatos filiados, estiveram reunidos com representantes do SINDUSFARMA (patronal) para rodada de negociação referente a Campanha Salarial e Social do dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Setor Industrial Farmacêutico.

Destaques da Proposta Patronal

Reajuste Salarial: 2,5% de reajuste (INPC/IBGE estimado em 1,77% mais 0,72% de aumento real estimado)
Com teto R$ 8.511,65 R$ (reajuste de 2,5% com estimativa de aumento real de 0,72%)
Valor fixo R$ 212,79 (reajuste de 2,5% com estimativa de aumento real de 0,72%)

Piso Salarial 

Para empresas com até 100 empregados
Reajuste de 2,5% (com aumento real estimado de 0,72%)
De R$ 1.447,41 passará a ser R$ R$ 1.483,59 

Para empresas com mais de 100 empregados
Reajuste de 2,5% (com aumento real estimado de 0,72%)
De R$ 1.629,13 passará a ser R$ R$ 1.669,84

PLR – Participação nos Lucros e Resultados 

Para empresas com até 100 empregados
Reajuste de 7,5% (com aumento real estimado de 5,63%)
De R$ 1.577,00 passará a ser de R$ 1.695,27

Para empresas com mais de 100 empregados
Reajuste de 7,5 % (com aumento real estimado de 5,63%)
De R$ 2.188,00 passará a ser R$ R$ 2.352,10

Cartão alimentação:

Empresas com até 100 funcionários
Reajuste de 9,23% (com aumento real estimado de 7,33%)
De R$ 201,40 para R$ 220,00

Empresas com mais de 100 funcionários
Reajuste de 10% (com aumento real estimado de 8,09%)
De R$ 300,00 para R$ 330,00

Acesso a Medicamentos: reajuste de 2,43% na correção do valor do subsídio pelo percentual de reajuste de medicamentos.

A partir de agora, dirigentes dos Sindicatos filiados farão assembleias em toda a base para apresentação da Proposta Patronal. A avaliação vai até o dia 9 de abril. Se a proposta for aprovada, será agendada a Assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho no próximo dia 10 de abril.

Juntas, a FEQUIMFAR/Força Sindical e FETQUIM/CUT representam cerca de 56.500 trabalhadores no setor industrial farmacêutico em todo o estado de São Paulo. 

Data-base da categoria é 1º de abril.

 

 

Deixe uma resposta