Químicos conquistam proposta patronal

0
381

“Nesta rodada de negociação, conseguimos manter a Convenção Coletiva de Trabalho que é uma importante conquista para evitar a precarização dos direitos dos trabalhadores imposta pela reforma trabalhista. Estamos resistindo aos malefícios dessa reforma e fortalecendo as negociações coletivas”, destaca Sergio Luiz Leite, Serginho, presidente da FEQUIMFAR e 1º secretário da Força Sindical.

Na manhã de hoje, líderes da FEQUIMFAR/Força Sindical e FETQUIM/CUT realizaram, de forma unitária, a 1ª rodada de negociação coletiva da Campanha Salarial e Social dos Trabalhadores dos Setores Químico e Plástico, com data-base em 1º de novembro.

Participaram das negociações dirigentes da FEQUIMFAR/Força Sindical, FETQUIM/CUT, Sindicatos filiados e a bancada patronal composta por representantes do Grupo CEAG 10 da FIESP.

Destaques da proposta patronal:

Reajuste salarial: 100% do INPC em todas as faixas salariais, inclusive nos Pisos Salariais.

PLR
Empresas com até 49 trabalhadores
PLR de R$ 1.000,00

Empresas com mais de 49 trabalhadores
PLR de R$ 1.110,00

Grupo de Trabalho para negociação permanente
Continuidade dos Grupos de Trabalho para debates sobre os impactos da reforma trabalhista na Convenção Coletiva de Trabalho.

Manutenção das demais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho e validade da CCT por 2 anos.

Próximas etapas
Até o dia 22 de outubro, a proposta patronal será avaliada pela categoria junto aos Sindicatos nas bases. No dia 23 de outubro, haverá uma Assembleia Geral na sede da FEQUIMFAR para avaliação final e, se aprovada, a Convenção Coletiva de Trabalho deverá ser assinada na mesma data.

Deixe uma resposta