Químicos de Americana completam 30 anos de vida

0
51

Em editorial comemorativo, o Presidente do STI Americana, 𝐅𝐚𝐛𝐫í𝐜𝐢𝐨 𝐂𝐚𝐫𝐝𝐨𝐬𝐨 𝐂𝐚𝐧𝐠𝐮𝐬𝐬𝐮, relembra dias de luta e de conquistas para a categoria.

Em nome do presidente Sergio Luiz Leite, Serginho, a FEQUIMFAR e Sindicatos filiados parabenizam a diretoria dos Químicos de Americana e destacam o trabalho da entidade que é referência na história de luta do movimento sindical brasileiro, sempre à frente de importantes lutas defendendo a classe trabalhadora no município e também nacionalmente.

𝐓𝐑𝐈𝐍𝐓𝐀 𝐀𝐍𝐎𝐒 𝐃𝐄 𝐋𝐔𝐓𝐀𝐒

𝐅𝐮𝐧𝐝𝐚𝐝𝐨 em mil novecentos e oitenta e nove, nosso Sindicato representa cerca de oito mil trabalhadores e trabalhadoras de Americana, Nova Odessa, Santa Bárbara, Limeira, Piracicaba e Charqueada, que atuam nas áreas química, farmacêutica industrial, cosmética, do álcool, de material plástico e reciclagem.

Os jovens trabalhadores dos dias atuais conhecem muito pouco da longa história de lutas e conquistas do nosso Sindicato.

𝐂𝐨𝐦𝐨 𝐭𝐮𝐝𝐨 no início é mais difícil, as lutas nos primeiros anos do Sindicato eram ininterruptas. Em todas as empresas os trabalhadores tinham problemas. Em várias delas foi necessário paralisar as atividades por horas ou mesmo realizar greves para garantir que, inclusive, o mais básico de todos os direitos, que é o de receber o salário em dia, fosse cumprido.

𝐀 𝐂𝐨𝐧𝐬𝐨𝐥𝐢𝐝𝐚çã𝐨 das Leis Trabalhistas – CLT, durante muitos anos foi a única proteção dos direitos dos trabalhadores. Ao longo dos anos, graças à atuação do Sindicato, as melhorias nas condições de trabalho, segurança e saúde dos trabalhadores ganharam um grande reforço por meio da Convenção Coletiva de Trabalho – CCT, que agregou muitas conquistas que se sobressaíram à CLT.

𝐏𝐨𝐝𝐞𝐦𝐨𝐬 𝐜𝐢𝐭𝐚𝐫 como exemplos, as horas extras, que pelo Sindicato são de 110% e 70% enquanto que pela CLT são de apenas 100% e 50%; o adicional noturno que pela legislação geral é de 20% e o garantido, graças as lutas do Sindicato, é de 40%; a PLR que não existe na CLT e através da nossa Convenção garante o pagamento de um valor mínimo anual para todos os trabalhadores da categoria.

𝐄𝐧𝐭𝐫𝐞 𝐦𝐮𝐢𝐭𝐨𝐬 outros direitos garantidos e legitimados em Convenção Coletiva, hoje podemos dizer que nosso Sindicato se orgulha do trabalho realizado durante essas três décadas de vida.

𝐓𝐨𝐝𝐚𝐬 𝐚𝐬 𝐛𝐚𝐭𝐚𝐥𝐡𝐚𝐬 travadas em defesa dos trabalhadores de nada valeriam se não fosse a engrenagem principal desta máquina: 𝐨 𝐒Ó𝐂𝐈𝐎. É o sócio do Sindicato que acredita no trabalho da entidade e ajuda a manter a estrutura do movimento sindical funcionando.

𝐏𝐨𝐫é𝐦, o momento de transição política controverso que o Brasil atravessa coloca a classe trabalhadora em situação delicada e na defensiva. Propaga-se a ideia de que o Sindicato é o vilão neste contexto de crise e desemprego. Mas a história já foi escrita e nos permite olhar para trás e reafirmar o compromisso histórico de luta pelos direitos, mesmo nos dias atuais.

𝐎𝐫𝐚, 𝐬𝐞 𝐮𝐦 𝐝𝐢𝐚 nossos antepassados não tinham direitos e foi através das lutas que eles foram conquistados, por qual motivo, hoje, abriríamos mão de tais direitos?

É 𝐜𝐨𝐦 𝐞𝐬𝐬𝐞 𝐩𝐞𝐧𝐬𝐚𝐦𝐞𝐧𝐭𝐨 que comemoramos os 30 anos de vida do nosso Sindicato. É com esse pensamento que direcionamos nossa força para o trabalho a ser realizado por muitos anos ainda.

𝐍𝐚 𝐦𝐞𝐦ó𝐫𝐢𝐚 de todos os diretores que aqui estão e que por aqui passaram, lembramos de dois dos fundadores da nossa entidade e a eles deixamos nossas póstumas homenagens: Davi Gonçalves Ramos e Moacir Roberto Abreu. Sem eles essa história vitoriosa de lutas não seria possível.

𝐅𝐚𝐛𝐫í𝐜𝐢𝐨 𝐂𝐚𝐫𝐝𝐨𝐬𝐨 𝐂𝐚𝐧𝐠𝐮𝐬𝐬𝐮
Presidente do Sindicato dos Químicos de Americana e Região

Deixe uma resposta