Você está aqui:Home » Camp. Salarias » Químicos de Guarulhos mobilizados e em estado de greve pela recusa dos representantes patronais em atender as reivindicações da categoria, pela Campanha Salarial e Social do Setor Químico

Químicos de Guarulhos mobilizados e em estado de greve pela recusa dos representantes patronais em atender as reivindicações da categoria, pela Campanha Salarial e Social do Setor Químico

Químicos de Guarulhos mobilizados e em estado de greve pela recusa dos representantes patronais em atender as reivindicações da categoria, pela Campanha Salarial e Social do Setor Químico

Os Químicos de Guarulhos também estão mobilizados e em estado de greve, em razão da bancada patronal se recusar à apresentar um proposta de reajuste salarial, e não querer manter na Convenção Coletiva da categoria, a cláusula que garante a PLR

Segundo o Sindicato, diante do comportamento da bancada patronal que não apresentou proposta de reajuste e ainda afirma que não irão manter, em Convenção Coletiva de Trabalho – CCT, a cláusula que garante aos trabalhadores o pagamento referente a PLR – Participação dos Lucros e ou Resultados , para as empresa que não possuem acordo próprio, os trabalhadores do setor Químico estão mobilizados e em estado de greve.

Lideranças do Sindicato dos Químicos de Guarulhos e Região – Sindiquímicos tem percorrido as empresas para conscientizar o trabalhador sobre a negociação com data-base de 1º de novembro. Em contato com os trabalhadores, o Sindiquímicos tem distribuído o Informequim, jornal da categoria, com informações sobre as fases da negociação.

Segundo a diretoria do Sindiquímicos, na próxima sexta-feira, dia 28, haverá mais uma rodada de negociação, caso a posição da bancada patronal se mantenha, a categoria irá entrar em greve a partir de 01 de novembro.

“Conclamo a todos os trabalhadores que se mantenham mobilizados e unidos, a direção do Sindicato em conjunto com a FEQUIMFAR e a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramo Químico estarão unidos para defender a correção salarial e a manutenção das demais cláusulas da CCT”, afirma Antonio Silvan Oliveira, presidente do Sindiquímicos e CNTQ – Fonte: Troad

Deixar um Comentário

*

Please copy the string pSSykH to the field below:

© 2012 Todos os Direitos Reservados

Voltar ao Topo