Trabalhadoras da Força Sindical organizam seminário

0
280

As mulheres da Força Sindical realizarão, nos dias 7, 8 e 9 de março, uma Plenária Nacional para organizar a participação das trabalhadoras no Congresso Nacional da central. Devem participar do evento cerca de trezentas dirigentes sindicais de todas as regiões do País. “Queremos fortalecer nossa participação nas discussões de temas que também são de interesse das mulheres, e para isto temos de nos organizar e ampliar o debate”, diz Maria Auxiliadora dos Santos, secretária Nacional da Mulher da Força. Ela fala sobre o evento:

Força Sindical – Como será o evento do Dia Inte
rnacional da Mulher?

Maria Auxiliadora dos Santos – Estamos organizando, por meio de nossa secretaria, uma plenária nacional com trezentas mulheres de todo o Brasil para discutir cinco temas, que são: “Violência Contra a Mulher”, “Reforma da Previdência”, “Empoderamento das Mulheres”, “Mulher e o Mercado de Trabalho” e “Ratificação da Convenção 156 da OIT”.

Força – As trabalhadoras discutem há muito tempo a violência contra as mulheres. As mulheres anda continuam morrendo. O que ainda precisa ser feito para evitar toda essa violência?

Maria Auxiliadora – A violência continua. Mas entendo que este tema precisa ser encampado por todos nós: trabalhadoras e mulheres junto com sindicatos, federações, confederações e centrais sindicais. Só assim, homens e mulheres lutando, a violência contra a mulher será reduzida.

Força – Qual a posição das mulheres quanto à reforma da Previdência?

Maria Auxiliadora – A reforma da Previdência que o governo esta propondo vai atingir todos os trabalhadores, principalmente nós mulheres. Temos tripla jornada de trabalho, ganhamos salário 30% menor que o recebido pelos homens e, o governo, mais uma vez, quer que a mulher pague a conta na reforma da Previdência.

Força – O que é o empoderamento da mulher?

Maria Auxiliadora – Vamos discutir o empoderamento da mulher porque hoje no Brasil, principalmente nas centrais, inclusive a nossa, tem de ter mais mulheres nos sindicatos, nas federações, confederações. Nosso estatuto fala em 30% de mulheres na direção, e estamos trabalhando para ultrapassar esse número.

Força – E o tema “Mulher e o Mercado de Trabalho”?

Maria Auxiliadora – A nossa central tem de fazer um levantamento sobre o mercado de trabalho e os postos que as mulheres ocupam. As mulheres têm mais estudo do que os homens, mas estão em lugares onde se ganha menos, mais precários. A nossa central tem de olhar para esta questão.

Força – E a ratificação da Convenção 156, em que beneficia as mulheres?

Maria Auxiliadora – A ratificação da Convenção da 156 da OIT é importante porque trata da igualdade, do compartilhamento de homens e mulheres no serviço doméstico, porque hoje sobra só para as mulheres cuidar da casa, da educação dos filhos, dos idosos da família.

Força – Sua esperança é multiplicar o debate destes temas porque os sindicatos da Força fazem manifestações durante todo o mês de março?

Maria Auxiliadora – Não podemos comemorar desgraça. É uma reflexão sobre a violência, o que sofremos no mercado de trabalho. Tudo, enfim, que vem acontecendo conosco.

Deixe uma resposta