Um novo Brasil em debate: Centrais Sindicais lançam o site radiopeaobrasil.com.br

0
66

O presidente da FEQUIMFAR e 1º secretário da Força Sindical, Sergio Luiz Leite, Serginho, participou ontem do Debate “Um Novo Brasil”, entre o ex ministro Aldo Rebelo e o Economista Beluzo, que falaram sobre os desafios econômicos e sociais para o Brasil. Na ocasião também foi lançado o livro de 100 anos da Greve de 1917, elaborado pelo Centro de Memória Sindical e lançamento do site site Rádio Peão Brasil.

As quatro Centrais Sindicais – Força Sindical, UGT, CSB e Nova Central – lançaram ontem, dia 23 de outubro, o site Rádio Peão Brasil, que pretende levar as pessoas informações sobre trabalho, economia, política , sociedade, sob o olhar dos trabalhadores. “O objetivo é criar um site de interesse geral, popular e de alto nível”, afirmou João Carlos Gonçalves, Juruna, secretário-geral da Força Sindical.

O presidente da UGT, Ricardo Patah, falou sobre a importância de criar um instrumento para debater temas de interesse dos trabalhadores. “Nesse primeiro momento estamos vivendo grandes transformações e o site vai mostrar isso”, declarou.

Um Novo Brasil em Debate
O diretor-geral do Diese, Clemente Ganz Lúcio, falou do esforço de unir o movimento sindical e compreender o que está acontecendo neste momento.

No evento foi realizado o debate sobre o tema: “Um Novo Brasil em Debate”, com os palestrantes Aldo Rebelo, ex-ministro e autor do documento “Manifesto pela União Nacional” e Luiz Gonzaga Belluzzo, professor de Economia da Unicamp, com a mediação de Marcos Verlaine, analista político e assessor parlamentar do Diap.

“ A terceira grande plataforma”, concluiu, “ é um Brasil democrático onde os pobres e os trabalhadores possam partilhar as decisões importantes sobre os destinos, sobre o futuro da nossa pátria”.

Greve de 1917
Foi lançada a revista Greve de 1917, em homenagem aos 100 anos da Greve Geral de 1917, a primeira greve geral realizada no Brasil em julho daquele ano, em São Paulo, por operários anasquistas. Lançada pelo Centro de Memória Sindical (CMS), a revista mostra que esta foi um das greves mais abragentes e longas da história do Brasil.

Segundo Carolina Maria Ruy, coordenadora do CMS, foi necessário cerca de um ano de pesquisas para ter um conhecimento mais profundo do movimento. “Contamos com o importante auxílio de José Luiz Del Roy, João Guilherme Vargas Netto, Ayrton Fernandes e Gláucia Fracario”, completa Carolina que destaca que neste ano a Vila Maria Zélia, local onde moravam os trabalhadores, também completa 100 anos.

Fonte: Imprensa da Força Sindical.
Fotos: Tiago Santana.

Deixe uma resposta